Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Projeto Juventude Empreendedora premia jovens de Nova Iguaçu

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

Em tempos de crise econômica e com o mercado de trabalho cada vez mais fechado, investir no próprio negócio tem sido a aposta de muitas pessoas. Mas quando a iniciativa tem cunho social, o resultado pode ser ainda melhor e também render reconhecimento e prêmios. Foi com o objetivo de incentivar projetos com esta finalidade que a Prefeitura de Nova Iguaçu firmou parceria com o CIEDS (Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável) na realização da 3ª edição do Projeto Juventude Empreendedora.

Nova Iguaçu é um dos quatro polos do CIEDS (os outros ficam no Centro do Rio, Méier e Duque de Caxias) e recebeu cursos voltados para o empreendedorismo financiados pelo Itaú Social. Durante sete meses, 30 alunos moradores de comunidades e áreas periféricas iguaçuanas e de outras cidades da Baixada participaram dos encontros semanais promovidos na Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, órgão ligado à Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS).

“Somos parceiros neste projeto, pois acreditamos na juventude. Com muita criatividade, nossos jovens são capazes de criar novas formas de geração de renda e impactar suas comunidades de forma positiva”, disse a secretária da SEMAS, Elaine Medeiros. “Estaremos sempre de portas abertas para iniciativas como esta”.

Ao todo, 626 jovens entre 18 e 25 anos, representantes de 16 municípios do Rio de Janeiro, se inscreveram, no início de 2019, nos quatro polos do projeto do CIEDS. Destes, 102 foram selecionados para o curso de formação e 64 passaram por avaliação de uma banca. Os 30 aprovados, sendo 10 do polo de Nova Iguaçu, participaram da Feira de Negócios da Juventude Empreendedora, realizado no dia 7 de novembro, no Museu Histórico Nacional, no Rio.

“Foram distribuídos R$ 60 mil em premiações. Cada um dos 30 participantes da feira recebeu R$ 1 mil. Cinco deles receberam mais R$ 1 mil, sendo que quatro selecionados pela banca do evento e um por votação popular. Outros cinco jovens receberam mais R$ 5 mil cada”, conta Ricardo Saad, coordenador do projeto Juventude Empreendedora.

Um dos contemplados com o prêmio máximo foi Raffael Rasuski Vasconcelos dos Santos, 22 anos. Mesmo sendo morador de São João de Meriti, foi em Nova Iguaçu que ele ganhou mais fundamentos para o projeto. O jovem chegou a participar da segunda edição, no ano passado, mas precisou abrir mão para se dedicar ao emprego. Este ano, Raffael se inscreveu novamente e voltou a ter seu projeto selecionado.

“Minha ideia inicial era abrir uma escola de arte. Mas como o intuito era oferecer aulas de dança e música gratuitas para os moradores de comunidades, percebi que o projeto era inviável para o propósito do curso que tem como objetivo ensinar o aluno a desenvolver um negócio que seja rentável”, explica Raffael, que decidiu mudar de planos dois meses após o início das aulas. “Desde pequeno sou apaixonado pela área da tecnologia, então resgatei uma antiga ideia de produzir energia através de imãs neodímios. A Energia de Origem Magnética (EOM) tem um custo menor que as energias solar e eólica e proporcionaria às famílias de baixa renda uma economia de até 40% na conta de luz”, garante o jovem, técnico em automação industrial e estudante de engenharia de controle de automação.

Com o prêmio total de R$ 6 mil, Raffael Rasuski irá patentear o projeto EOM e investir no aperfeiçoamento e divulgação de seu produto.

 

Iguaçuana vence votação popular

Os 30 participantes da Feira de Negócios do Juventude Empreendedora foram submetidos a uma votação popular vencida pela iguaçuana Jaqueline Gomes da Silva, moradora de Vila de Cava. Desempregada, ela viu na gastronomia a oportunidade para dar um novo rumo à vida e abriu seu próprio negócio, o JáQuero. A jovem, de 26 anos, faz salgados para vender no bairro e revela que o curso do CIEDS foi fundamental no desenvolvimento de sua atividade.

“Tive aulas de educação financeira, marketing digital, marketing pessoal e muitas outras que mudaram minha visão empresarial. O curso nos permite aplicar no trabalho todo o aprendizado adquirido e tornar o negócio mais rentável”, afirma Jaqueline.

Não é só o lucro nos negócios que preocupa Jaqueline. Ela demonstra também consciência ambiental ao armazenar todo o óleo utilizado na fritura dos salgados para fabricar sabão artesanal. “Muitas pessoas jogam o óleo no ralo, no vaso ou no lixo, mas elas não sabem o quanto isso polui o meio ambiente. Pretendo conscientizar os moradores do meu bairro para que eles não façam mais isso”, disse a jovem.

Ela se coloca à disposição para ensinar a fabricação do sabão artesanal ou até mesmo receber o óleo usado. Com o prêmio de R$ 1 mil da votação popular e os outros R$ 1 mil pela participação na Feira de Negócios, Jaqueline investiu na compra de um freezer para armazenar seus produtos.

Jovens como Jaqueline e Raffael são exemplos de que é possível empreender sem olhar apenas para o próprio negócio, mas também querer fazer o bem ao próximo. “A cada ano que passa percebemos que os jovens estão cada vez mais bem preparados. São pessoas que querem mudar a realidade da família, do local onde moram e das pessoas ao redor”, comemora Leandro da Silva Pereira, assistente de projetos do CIEDS e responsável pela mobilização nas comunidades e a parceria com a SEMAS.

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais