Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Especialista alerta para circulação do sorotipo 2 da dengue no Rio

O sorotipo 2 do vírus da dengue, responsável pelas epidemias de dengue no Brasil em 2007, 2008 e 2009, deve voltar a circular entre a população do Rio de Janeiro neste verão. O alerta é do especialista da Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES-RJ) Alexandre Chieppe.

“O sorotipo 2 do vírus da dengue é associado a casos mais graves da doença e, como ele não circula no estado do Rio desde 2008, grande parte da população nunca teve contato com o patógeno, não desenvolveu anticorpos e, por isso, está mais exposta. Temos vírus circulando, um mosquito transmissor adaptado ao ambiente urbano e, agora, a suscetibilidade da população vem completar o tripé que sustenta epidemias de arboviroses, dentre elas as de dengue”, alertou.

Chieppe disse que 2019 foi o segundo ano com o maior número de casos de dengue notificados desde o início da série histórica, em 1975, com um crescimento de 517% em relação a 2018.

“Foram registrados mais de 1,5 milhão de casos da doença, principalmente em Minas Gerais, São Paulo e no Espírito Santo, com 754 óbitos. A reentrada do sorotipo 2 do vírus, após anos de circulação dos sorotipos 1 e 4, é a principal explicação para esse aumento. E esse quadro pode vir a se repetir no Rio de Janeiro”, explicou o especialista.

O diagnóstico precoce e o acompanhamento clínico adequado são decisivos para desfechos favoráveis. Além de intensificar ações para conscientização da população em relação à eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio disse que está preparada para atender com agilidade e precisão as pessoas que adoecerem.

De acordo com Alexandre Chieppe, a organização da rede de atendimento à população é fundamental para diminuir o risco de complicações e, consequentemente, o número de óbitos. “O plano de contingência da secretaria conta com equipes de resposta rápida, com médicos e enfermeiros disponíveis 24 horas, fluxo de internação de casos graves, acesso a exames laboratoriais e a teste de diagnóstico”.

* Com informações da SES-RJ

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais