Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Ações para povos tradicionais somam R$ 4,7 bi, diz Damares

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta segunda-feira (13) que o governo vai movimentar R$ 4,7 bilhões para atender as necessidades das comunidades tradicionais, como quilombolas e povos indígenas durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus. A maior parte desse recurso, cerca de R$ 3,2 bilhões, é oriunda do programa de auxílio emergencial  do governo federal destinado a trabalhadores informais e integrantes do Bolsa Família e que vai destinar uma renda mensal de R$ 600 durante três meses.

“Nós temos um número muito grande de indígenas beneficiários do Bolsa Família, um número muito grande quilombolas e de ciganos, então este grupo está sendo beneficiado também com a renda de R$ 600”, disse a ministra durante coletiva de imprensa, no Palácio do Planalto, para atualizar ações do governo federal no combate à pandemia do novo coronavírus. Entre povos tradicionais, mais de 1,8 milhão de famílias devem receber o auxílio emergencial. 

Para estados e municípios, serão repassados R$ 1,5 bilhão para custeio de merenda escolar. A medida alcançará 40 milhões de estudantes, no total. Dentre eles, 274,2 mil indígenas, 269,3 mil quilombolas e quase 5  milhões de estudantes no campo, incluindo todos os demais grupos de povos tradicionais, informou o ministério. Serão 150 mil escolas beneficiadas, das quais mais de 58 mil atendem estudantes de povos e comunidades tradicionais.

Outra medida destacada pela ministra é a distribuição de cestas básicas para cerca de 154,4 mil famílias indígenas e 7,3 mil famílias quilombolas. O investimento total é de mais de R$ 40 milhões. Foram elaborados, ainda, materiais gráficos com informações sobre o coronavírus em 274 línguas de 305 etnias indígenas. O governo ainda deve liberar cerca de R$ 23 milhões para ações de prevenção em saúde em comunidades tradicioanais, segundo a ministra. 

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais