Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Documentário da chacina de Nova Iguaçu será premiado e exibido na TV Câmara

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

A força cultural da Baixada Fluminense cresce cada vez mais em âmbito nacional. No ano em que se completam 15 anos da maior chacina da região, quando policiais do estado do Rio assassinaram 29 pessoas em Nova Iguaçu e Queimados (2005), o documentário ‘Nosso Mortos Têm Voz’, produzido e dirigido por Fernando Sousa, da Quiprocó Filmes, foi selecionado pelo 3° Concurso de Documentários da TV Câmara para ser premiado e veiculado pela emissora durante um período de 24 meses. A obra, que retrata a violência na Baixada, está entre as 30 produções indicadas.

Com histórias reais, o documentário traz à tona a realidade e o depoimento de mães e familiares de vítimas da violência na região, contando com narrativas atravessadas por essas perdas. A produção resgata a memória das vidas interrompidas com uma visão crítica sobre a atuação do Estado através das polícias na Baixada, e aborda a atuação dos grupos de extermínio a partir da década de 50, sobretudo, no que diz respeito à violência contra jovens negros.

Documentarista e diretor executivo da Quiprocó Filmes, o produtor Fernando Sousa revela a importância ser indicado à premiação do concurso e faz questão de agradecer a TV Câmara pela iniciativa, que, na sua visão, promove um troca de conhecimentos e cultura pelo Brasil afora.

“Em primeiro lugar, é importante saudar a a TV Câmara por fazer o 3° Concurso de Documentários. Tudo isso é fundamental para nós porque contempla a diversidade de olhares e percepções sobre as diferentes realidades. A realização do concurso traz a pluralidade do nosso cinema para a televisão aberta, o que é uma grande satisfação e prazer”.

Sobre o documentário, Fernando garante estar contente pela repercussão da obra e explica um pouco mais da trajetória da produção. “A gente fica muito feliz pelo fato de o filme estar entre os premiados. É uma indicação que celebra e reconhece a caminhada do documentário, tendo circulado em mais de nove países, desde os Estados Unidos até a África. Na verdade, isso também serve de homenagem às mães e filhos que sofrem com a violência na Baixada”.

Fonte: O Dia

 

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais