Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Programa da Secretaria do Ambiente é premiado

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI
PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

Divulgação

Programa da Secretaria do Ambiente é premiado

16 de novembro de 2020

 

Iniciativa bem sucedida de manejo de resíduos sólidos para destinação ambiental adequada, o projeto ‘De Olho no Lixo’, executado pela Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e pelo Viva Rio Socioambiental, ganhou o Prêmio Firjan Ambiental 2020, na categoria ‘Resíduos Sólidos’, concorrendo com outros 381 projetos. A premiação aconteceu na última sexta-feira (13).

 

O ‘De Olho no Lixo” beneficia as comunidades da Rocinha e do Vidigal, na Zona Sul do Rio, e a Roquete Pinto, no Complexo da Maré. O programa tem o apoio da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj).

 

Desde sua criação em 2016, o projeto recolheu 1,5 milhão de toneladas de resíduos, sendo mais de 300 mil toneladas de lixo reciclável e 4,5 mil litros de óleo. Foram produzidos também 1,5 mil peças de roupas e acessórios e 550 instrumentos musicais.

 

– O ‘De Olho no Lixo’ é um projeto que nos enche de orgulho, que transforma resíduo em arte, estimula a educação ambiental, além de fortalecer práticas culturais através de ações sustentáveis. Durante a pandemia, mais de 3,5 mil máscaras foram produzidas e doadas a moradores das comunidades. Estamos honrados com essa premiação – destacou o secretário do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha.

 

Apesar da pandemia, os agentes ambientais do programa recolheram, entre janeiro e agosto, 142 toneladas de resíduos da Rocinha e do Vidigal para destinação ambiental adequada. Na Rocinha, esse trabalho resultou na criação da Cooperativa Rocinha Recicla.

 

Além disso, a iniciativa promove a capacitação de moradores das três comunidades, por meio das oficinas Ecomoda e Funk Verde.  Na primeira, os alunos aprendem a fazer peças de roupas, bolsas e acessórios, reutilizando jeans, retalhos, sobras de tecidos, banners e tantos outros objetivos que teriam como destino a lata do lixo. 

 

Já a oficina do Funk Verde ensina a percepção sonora aos moradores, utilizando instrumentos musicais confeccionados a partir do reaproveitamento de resíduos. O Funk Verde também funciona como ferramenta de comunicação de massa, por meio das composições temáticas.

 

Nessa oficina, os alunos já produziram centenas de instrumentos musicais como a cuíca produzida com canos PVC, um tipo de resíduo da construção civil; o pandeiro confeccionado com garrafa pet, em substituição ao couro animal; latas de tinta que foram transformadas em caixas, dentre outros.

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais