Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Mesário é agredido por homens que trabalhariam para candidato a vereador em Nova Iguaçu

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

Como faz há mais de dez anos durante o período eleitoral, o engenheiro Fabiano Sales de Oliveira, de 34, saiu de casa cedo, neste domingo, para trabalhar como mesário voluntário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). No entanto, a eleição deste ano deixou marcas no rosto de quem só queria ajudar. Pouco depois de chamar a atenção de um candidato a vereador, que estaria abordando eleitores nas seções da Escola Municipal Amazor Vieira Borges, no Bairro Jardim Tropical, em Nova Iguaçu, Fabiano foi agredido com socos e chutes por dois homens que trabalhariam para o político. Com o supercílio cortado, o engenheiro foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu(HGNI), onde recebeu atendimento médico. Depois, ele registrou o caso na Divisão de Polícia Federal de Nova Iguaçu, onde prestou depoimento.

Segundo Fabiano a agressão foi cometida por dois homens que trabalham para Felipinho Ravis, presidente da Câmara de vereadores de Nova Iguaçu e atual candidato a reeleição. O engenheiro contou ter chamado a atenção de Felipinho por conta de abordagens feitas pelo político a eleitores (boca de urna). Em seguida, o candidato deixou o local. Pouco depois, o mesário foi pegar um objeto no carro, estacionado em frente ao colégio, quando o político se aproximou achando que estava sendo filmado com um telefone celular.

— Eu não estava filmando nada, mas ele se aproximou e pegou me celular. Eu puxei de volta. Nisso, dois homens se aproximaram e me agrediram com socos e chutes. A gente fica chateado com isso tudo. Trabalho como voluntário, sem ganhar nada, e ainda fui agredido só porque estava trabalhando. Agora, tenho medo do que possa acontecer comigo daqui pra frente — disse.

Após ser agredido, Fabiano pediu ajuda a um PM que estava de plantão na escola municipal. Ele pediu a presença de uma patrulha que levou a vítima para um hospital. Procurado, o vereador Felipinho Ravis disse, através de sua assessoria, que não cometeu agressão nenhuma e que não teve qualquer relação com o episódio. De acordo com o TRE o caso vai ser investigado pela PF que vai apurar se houve crime eleitoral ou não. Em seguida, dependendo do resultado das investigações, o Ministério Publico eleitoral poderá ajuizar uma ação sobre caso.

Fonte: Extra
Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais