Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Museu da Imagem e do Som do Rio recebe o acervo de José Wilker 

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI
PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

Fred Pontes

Museu da Imagem e do Som do Rio recebe o acervo de José Wilker 

14 de dezembro de 2020
 

Um dos artistas mais completos da sua geração, José Wilker terá o seu acervo imortalizado no Museu da Imagem e do Som (MIS) do Rio de Janeiro. O equipamento, vinculado à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio (Sececrj), recebeu neste mês das filhas do ator, Mariana Vielmond e Isabel Wilker, um vasto material com mais de 17 mil itens, divididos em fitas de vídeo, CDs e DVDs, além de uma ampla biblioteca com diversos temas, em especial cinema e teatro. A coleção de Wilker, que morreu em 2014, está na sede da Lapa para preservação e salvaguarda, e será exibida na exposição permanente do MIS.   

 

– A preservação deste acervo vem ao encontro da missão do MIS em prol da manutenção das memórias de grandes personalidades da cultura nacional. A importância de Wilker nas artes é inegável e portanto ficamos muito gratos à família por confiar a guarda desse importante acervo à instituição – disse Clara Paulino, presidente da Fundação Museu da Imagem e do Som do Rio. 

 

Cinéfilo de carteirinha, Wilker nasceu em Juazeiro do Norte, Ceará, e estreou ao 13 anos na TV. Na Rede Globo desde 1971, interpretou personagens inesquecíveis em novelas como Roque Santeiro (1985) e Senhora do Destino (2004). Na telona, protagonizou clássicos como “Dona Flor e seus Dois Maridos”, dando vida ao finado Vadinho, e “Guerra de Canudos”, interpretando o histórico Antônio Conselheiro. Dono de humor refinado e sarcástico, nos deixou aos 67 anos, em 2014.

 

– O Museu da Imagem e do Som do Rio é um patrimônio de todo o estado e país, também com reconhecimento internacional. O acervo do ator José Wilker está em boas mãos, preservado por uma equipe muito qualificada. Em breve, esse material ficará exposto para a população, que terá uma grande oportunidade de conhecer ainda mais sobre a sua história – conta a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio, Danielle Barros. 

 

Inaugurado em 1965, o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro é considerado o primeiro museu audiovisual do Brasil. São mais de 30 coleções que reúnem cerca de 330 mil itens nos mais variados suportes. São 93 mil fotografias, incluindo 1.700 negativos em vidro e 26 mil estereoscópicas, de grande valor histórico, algumas raras; uma discoteca de quase 60 mil discos entre, LPs, compactos e 78 RPM.

 
Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais