Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Histórias da Serra: mulheres se destacam na reconstrução da região

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI
PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

Eliane Carvalho

Histórias da Serra: mulheres se destacam na reconstrução da região

12 de janeiro de 2021

 

A técnica em agropecuária Pâmela Aparecida da Costa Silva, de 28 anos, viu a família perder a lavoura, em Nova Friburgo, com a chuva que assolou a região há 10 anos. Na época, ela tinha 18 anos e morava com os pais. Diante de tantas perdas, Pâmela, que havia terminado o curso de Técnica Agrícola, decidiu participar do movimento de reconstrução da economia local. A jovem fez parte da equipe de gestão do Rio Rural Emergencial, programa do Governo do Estado liderado pela Emater.

 

–  Após essa catástrofe, muitos perderam a capacidade de produção. Foi então que a Emater contratou mão de obra técnica para atuar no programa Rio Rural, e eu fui uma das pessoas contratadas. A iniciativa feminina trouxe uma nova perspectiva para as propriedades, a mulher passou a ser a maioria nessas ações – destacou Pâmela, que ajudou a fazer o levantamento das perdas, prestou assistência às famílias que perderam plantações e casas e participou de vários projetos de recuperação da cidade. Hoje, ela é presidente do Conselho dos Dirigentes das Organizações Rurais de Nova Friburgo (ConRural).

 

A produtora rural Margarete Satsumi (foto) também sofreu o impacto das enchentes na Região Serrana. O sítio da família ficou alagado por mais de dois meses, após uma tromba d’água. O acesso para Nova Friburgo foi bloqueado devido a um deslizamento por mais de uma semana e, pelo mesmo período, seus parentes ficaram sem água potável, recolhendo água da chuva para beber, cozinhar e tomar banho. Ela perdeu toda a plantação de hortaliças japonesas que fornecia para restaurantes e mercados da capital.

 

– O programa Rio Rural veio em um momento muito importante, nós conseguimos sementes, carrinho de mão, pá, entre outros itens fundamentais que possibilitaram o nosso recomeço – ressaltou Margarete.

  

No ano da tragédia, Margarete enviou os três filhos para a casa de parentes e buscou trabalhos temporários para complementar a renda familiar. Para reconstruir a propriedade, ela o marido Lyndon Johnson Ferreira procuraram auxílio de todos os órgãos que estavam oferecendo ajuda. Passaram a frequentar as reuniões da Emater para entender como pensar estratégias e aprender técnicas para recuperar seu negócio e refazer a vida econômica da família.

 

O programa Rio Rural Emergencial foi criado especificamente para ajudar nos impactos da tragédia. Cerca de R$ 14 milhões foram investidos em subprojetos de recuperação produtiva, beneficiando 1.911 produtores. Trinta e duas associações de produtores foram contempladas em seis municípios com micropatrulhas de conservação do solo. Houve investimentos em ações de apoio à infraestrutura, produção, comercialização e capacitação. Quarenta pontes também foram restauradas.

 

Confira a agenda completa do governo itinerante na Região Serrana e todas as informações atualizadas em tempo real acessando http://bit.ly/GovRJnaSerra.

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais