Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Rio deverá ter lei proibindo corrida de cães no Estado

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

A realização de corridas competitivas de cães deverá ser proibida em todo o Estado. Após denúncia feita pelo Fantástico neste domingo, a deputada Alana Passos (PSL) preparou projeto de lei para impedir a prática no Rio de Janeiro. A proposta, que entrará em tramitação na Assembleia Legislativa (Alerj), prevê multa e prisão de até cinco anos para quem promover ou participar de atividades extenuantes de cachorros.

Matéria veiculada pelo Fantástico mostrou cães da raça Galgo sendo explorados e maltratados em corridas no sul do Brasil. Diante da comoção da reportagem, o governador Cláudio Castro (PSC) publicou, em seu Twitter, que editará um decreto para proibir a atividade no Estado, como já acontece em países, como os Estados Unidos, Itália, França, Argentina e Uruguai. Depois de conversar com Castro, a deputada preparou o projeto de lei.

“Como decretos podem ser revogados, conversei com o governador sobre termos uma lei. Já preparei o texto e, assim que a Alerj voltar, daremos início à tramitação. Não podemos permitir que cães sejam usados em atividades exploratórias, e isso inclui a reprodução excessiva de determinadas raças. Os animais são submetidos a práticas cruéis”, afirma Alana Passos.

Na justificativa do projeto de lei, a parlamentar cita alguns dos maus-tratos que geralmente ocorrem diante da reprodução para fins comerciais ou corridas, como aplicação de drogas para aumentar o desempenho, cativeiro contínuo em espaços sujos e apertados, descarte e abandono dos animais considerados fracos ou feridos.

“É revoltante saber de tanta crueldade. Os animais merecem respeito. Fico feliz de o governador ser sensível à causa e, depois da aprovação da Alerj, tenho certeza que vai sancionar a lei e fiscalizar o cumprimento dela para evitar que tais maus-tratos aconteçam no nosso Estado”, finaliza a deputada.

O projeto ainda passará pelas comissões da Casa antes de ir ao plenário, onde pode receber emendas e ser alterado. Depois de aprovado, depende da sanção do governador para virar lei.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter
Cadastre e receba notícias direto para seu email
Você pode se desinscrever a qualquer momento
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais