Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Força-Tarefa prende 15 milicianos que atuam na capital fluminense

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI
PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

 

 

Força-Tarefa prende 15 milicianos que atuam na capital fluminense

 

27 de janeiro de 2021

A Força-Tarefa da Polícia Civil de combate às milícias, por meio das unidades do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE) e da Delegacia de Repressão às Organizações Criminosas e Inquéritos Especiais (Draco), desencadearam, nesta quarta-feira (27/01), uma operação contra o braço financeiro da milícia que atua na Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na Zona Oeste da capital, e em outras regiões do Rio. Quinze pessoas foram presas. Os agentes também interditaram duas lojas de roupas falsificadas, um ferro-velho que receptava cabos furtados de empresas de telefonia, dois provedores de internet, um edifício em construção, uma farmácia e uma uisqueria.

 
A ação teve como objetivo prender milicianos, asfixiar as fontes de renda e interromper comércios e serviços ilegais que geram grande lucro para a organização criminosa. Na operação, os agentes prenderam um dos principais integrantes da milícia que comanda a comunidade do Quitungo, em Brás de Pina. Contra o acusado foi cumprido um mandado de prisão temporária por homicídio. Durante a ação, os agentes também prenderam um “cobrador” da milícia.

As investigações também revelaram que a milícia que comanda o Quitungo se aliou a traficantes de uma organização criminosa que já atuava em Vigário Geral, Parada de Lucas e Cidade Alta.

 
Entre os crimes investigados estão exploração de atividades ilegais controladas pela milícia; cobranças irregulares de taxas de segurança e de moradia; instalações de centrais clandestinas de TV a cabo e de internet (gatonet/gatointernet); armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água; parcelamento irregular de solo urbano; exploração e construções irregulares, areais e outros crimes ambientais; comercialização de produtos falsificados; contrabando; descaminho; transporte alternativo irregular; estabelecimentos comerciais explorados pela milícia e utilizados para lavagem de dinheiro, entre outras ilegalidades.

A ação desta quarta-feira tem com base investigações realizadas nas unidades da DGPE, como a Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD); Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIm); Delegacia do Consumidor (Decon); Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA); Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e Divisão de Capturas da Polícia Interestadual (DC-Polinter), Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC); Delegacia de Roubos e Furtos (DRF); Delegacia Fazendária (Delfaz); Delegacia de Combate às Drogas (Dcod); e Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), com apoio de informações do Disque-Denúncia.

 

 

você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais