Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

Casa França-Brasil reabre com a exposição Casa Aberta – Passagens

PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

Divulgação

Casa França-Brasil reabre com a exposição Casa Aberta – Passagens

4 de março de 2021
 
O palacete neoclássico da Casa França-Brasil reabriu suas portas para receber “Casa Aberta – Passagens”, exposição que conta com dez grandes artistas de renome na arte contemporânea. A história da casa e a relação com a cidade do Rio de Janeiro foram fonte de inspiração para a criação de obras que celebram a reabertura do centro cultural, estimulando novas vivências e gerando reflexões sobre a marcante trajetória do local. Participam da exposição os artistas Adriano Machado (BA), Arlindo Oliveira (RJ), Claudia Hersz (RJ), Efrain Almeida (CE/RJ), Emerson Uyra (AM), Ivan Grillo (SP), Leonardo Lobão (RJ), Marcela Bonfim (SP/RO), Panmela Castro e Patrícia Ruth (PA/RJ).
 
O projeto cultural da exposição foi contemplado pela Lei Aldir Blanc, com patrocínio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. 
 
– A Lei Aldir Blanc tem papel fundamental na retomada da cultura no nosso estado. Prova disso é a reabertura da nossa Casa França-Brasil acontecendo e tendo o seu papel cultural preservado, com exposições patrocinadas e compondo novamente o corredor cultural no Centro do Rio, sendo mais um pulsante equipamento cultural – diz a secretária de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros. 
 
Além das referências aos diversos usos do local – Praça do Comércio, Alfândega, Arquivo, Tribunal do Júri e Centro Cultural -, a mostra também traz à memória fatos históricos e políticos ocorridos no país, como a escravidão e a ditadura militar. Surgiu daí a inspiração para o nome “Casa Aberta – Passagens”, em referência ao local em si, mas também aos fatos e a passagem do tempo. 
 
– A mostra comemora os 200 anos deste importante monumento arquitetônico do Brasil com um convite aos artistas para dialogarem com a História, investigando o tempo e a Casa, não como um espaço estático, mas como um lugar de permanentes transformações e atravessamentos de passagens e ressignificações – observa Diego Martins, o curador da mostra. 
você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais