Nova Iguaçu Online
Notícias de Nova Iguaçu todo dia

HGNI promove ação de conscientização e cuidados no início da Semana Mundial da Higienização das Mãos

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

Lavar as mãos é um hábito fundamental que ganhou ainda mais importância durante a pandemia para combater a Covid-19 e outras doenças virais e bacterianas. Para reforçar ainda mais a importância desta simples e poderosa atitude, o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) iniciou, nesta segunda-feira (3), as comemorações pela Semana Mundial da Higienização das Mãos. Até a próxima sexta-feira (7), a equipe da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) fará ações de conscientização para funcionários, pacientes e acompanhantes, reforçando os cuidados com higiene das mãos.

Acadêmicos do Núcleo de Infectologia do HGNI se caracterizaram como álcool em gel e vírus, e percorreram os setores – com exceção ao da Covid-19 – interagindo com os funcionários e pacientes, demonstrando em pequenas apresentações a importância da higiene das mãos na luta contra vírus e bactérias. Um pequeno balcão foi montado próximo ao acesso às enfermarias, local onde o fluxo de pessoas é maior, oferecendo informações. Frascos de álcool em gel foram entregues.

“Existem vírus, bactérias e fungos em nosso ambiente que podem ser transmitidos facilmente. Por isso, os cuidados com a lavagem das mãos precisam ser redobrados. Este tem que ser um hábito rotineiro, pois é fundamental para evitar a disseminação não só da Covid-19, como de outras doenças infectocontagiosas gravíssimas”, alerta o diretor geral do HGNI, Joé Sestello.

Além de levar essa mensagem de conscientização, a CCIH também fez a coleta microbiológica para avaliar o tipo de bactéria que pode ter nas mãos dos profissionais da saúde. “A campanha de lavagem das mãos é uma das ações mais importantes que a CCIH promove com os funcionários, redobrando os cuidados para prevenir infecções intra-hospitalares, que pode ajudar a diminuir o tempo de internação dos pacientes”, ressalta o médico infectologista Roberto Falci, que também coordena a CCIH e as alas da Covid-19.

Na enfermaria pediátrica, a pequena Isabelle, de 2 anos, se divertiu com o álcool em gel superando o vírus durante uma pequena apresentação. A mãe, Maria Denise Florencio, de 33 anos, recebeu um frasco de álcool em gel e aprovou a ação. “É importante para este momento. Precisamos nos cuidar e prevenir o aparecimento de outros vírus” disse ela.

A técnica de enfermagem Adriana Diniz, de 49 anos, que atua no setor de Comissão de Curativos, foi ‘atacada’ pelo personagem vestido de vírus, mas, de imediato, o álcool em gel apareceu ao seu resgate. Ela, que atua há 13 anos no HGNI, ressaltou a atitude. “É muito legal, com uma mensagem fundamental. Ainda tem muita gente que acha que vírus não existe, é só colocar a luva e pronto. Mas não é assim. Tem sempre que lavar as mãos de forma correta e tomar todos os cuidados”, conclui.

você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais